A tecnologia foi algo que deslumbrei desde pequena, que na época o mundo ainda não era digital e as brincadeiras eram na rua, foi com o brinquedo Pense Bem, que parecia um computador, que iniciou minha jornada tecnológica. A partir, daí, me apaixonei pela tecnologia, e acho que facilitou muito a minha vida no dia a dia.

Logo que me formei no Ensino Médio, já pedi de formatura, um computador, mas ele não fazia nada, além da programação em linguagens de computador. Claro, que acabei fazendo curso de Análise de Sistema na Puccamp, e assim, estágios que me possibilitou aprender a mexer efetivamente. Na época, a Puccamp estava fazendo conexão com a Unicamp para dar acesso a internet. E adorávamos mandar e-mails e entrar nos sites.

A partir dos e-mails, vieram as ferramentas de mensagens, Messenger, Skype e depois o whatsapp. Sempre preferi falar via aplicativos de mensagens e e-mails, é uma evolução da comunicação para mim, acho muito mais prático do que parar e ficar falando, você responde quando pode.

Assim, terminei a faculdade,  já criei minha empresa, chamada Ingaia, com meu marido, criando sites e sistemas dinâmicos, claro na internet e o banco de dados na “nuvem”( cloud) para o mercado imobiliário. Naquela época, o acesso a internet era discado, e muitos nem acreditavam na internet, e hoje, vejo que fomos visionários e empreendedores, e a internet domina até o comércio,  invertendo os negócios. Atualmente, e ainda mais, agora na pandemia, quem cria um negócio apenas fisicamente, está fadado a fechar, primeiro tem que criar no mundo digital.

Até para me comunicar dentro da minha empresa com os funcionários, já usava os aplicativos de mensagens, você resolve na hora e rápido, além, de ficar documentado. Isso, muitas vezes, me possibilitou trabalhar a distância, principalmente, quando meus filhos nasceram, sem deixar de trabalhar e ainda, poder ficar perto dos meus bebês.

Além da fator da comunicação, a tecnologia trouxe muitos benefícios na minha, como agenda online, organizador de tarefas diárias e projetos, fazendo com que desse conta de tantas tarefas que fui assumindo na minha vida. 

Outras tecnologias, que eram menos digitais, também, facilitam a vida no meu lar, como máquinas de lavar e secar, lavar louças, cafeteiras e todos os eletrodomésticos, cada vez mais fazendo o trabalho operacional, e agora, os robôs que aspiram e passam pano, que me salvou nessa pandemia, como no desenho animado da minha infância, “Os Jetson”. E até mesmos, os aparelhos eletrodomésticos estão virando digitais, com a “internet das coisas”, onde você controla TVs, cafeteiras, robôs aspiradores pela internet através do celular.

Para mim, tudo isso foi natural, sempre achei que as pessoas usavam pouco da tecnologia no dia a dia, para se comunicar e fazer e reuniões, mas a pandemia mostrou quantos recursos temos na mão, evitando o deslocamento, e facilitando a trabalho. Ficar nas redes sociais, é apenas um contato com as pessoas, postando seu dia a dia, só atrapalha, quando as pessoas exageram seu tempo nisso, esse é o lado negativo da tecnologia. Ter contato digital, aproxima as amizades, e ter que ser facilitar, não substituir o contato físico por completo, afinal,  somos seres humanos e precisamos do convívio social. As redes sociais, me trouxeram de volta muitos amigos da infância e adolescência.

Amo a tecnologia, mas sou a que menos fico, nas redes sociais e celular, da família. Digo sempre aos meus filhos, cuidado com a quantidade de horas que fica nos aparelhos ( celular, TV, vídeo games e etc). Procuro otimizar meu tempo com as ferramentas tecnológicas e não deixar que elas dominem meu dia dia, apenas otimizar. Senão, será um vício, e atrapalha sua vida, em vez de ajudar. Portanto, tudo tem seu lado bom e ruim, na minha vida a tecnologia trouxe mais pontos positivos, afinal, quem controla minha vida sou eu, e não a tecnologia que me controla.

Camila Monteiro de Morais Andrade – Bela Urbana. Empresária, fundadora da Ingaia, formada pela Puccamp em Análise de Sistema, MBA em TIGEN pela FGV, Mãe de 2 filhos, casada, filha e irmã.
Ama pintar, sempre com pincéis, pintura decorativa e agora aquarela. Ama plantas, vinho, chocolate
s e viajar.


Comentários

comments