Pensamentos Radicais Conflitantes têm atrapalhado minha vida.  Costumo acreditar nas   pessoas que amo até que apareçam pensamentos radicalmente contraditórios.  Infelizmente não tem sido possível juntar disposição para se debruçar no espaço respeitável entre 8 e 80 e a conversa acaba morrendo de exasperação. 

Já fui mais radical. Achava que o outro tinha que acreditar no que eu acreditava e ver o que eu via e batia o pé para fincar aquela convicção. Tinha a impressão de que se as coisas fossem diferentes eu poderia ser lançada no espaço sideral das Causas Perdidas, sem chances de retornar.  Felizmente aprendi a juntar a coragem necessária para examinar com calma o olhar do outro e assim amadureci um pouco mais.

Estamos em abril de 2020. País dividido por questões ideológicas e o mundo atacado pelo Covid 19. Os noticiários atiram notícias dramáticas durante quase 24 horas, causando medo e insegurança. Alegam que é preciso dizer à população que se o pico da doença for muito alto, muita gente vai morrer por falta de leitos, falta de respiradores e falta de atendimento médico.

Muito me espanta esta explicação. O que dizer dos milhares de pessoas que morrem diariamente no mundo, por Falta de Consciência do Bem Comum, Falta de Governantes responsáveis, Falta de  Políticas públicas, desburocratizadas, inteligentes e suficientemente boas.  Por que não fazem o mesmo berreiro para impedir que morra gente de Falta de comida, Falta de Educação de qualidade, Falta de atendimento médico e  Falta segurança? 

É até compreensível que grande parte do ‘governo’ esteja mais interessado em defender seus próprios interesses do que buscar solução para os problemas à sua volta.  Afinal, nós eleitores, consumidores e pagadores de impostos, aceitamos um sistema eleitoral que permite propaganda enganosa. Aceitamos que as pessoas possam se anunciar como quiserem, sem necessidade de estabelecer compromissos com os eleitores. Aceitamos votar cegamente, sem conhecer bem os candidatos. Aceitamos votar no menos pior.

Não pense o leitor que acredito no comunismo. Isto seria uma forma radical de pensar, seria o extremo 8.  As pessoas nos países comunistas são proibidas de sair de seus países e proibidas de sonhar. Saiba também o leitor que repudio o Capitalismo Selvagem, onde é permitido que se moa carne de gente à vontade, para que alguns escolhidos possam comprar suas luxuosas aberrações. Isto seria o extremo 80.

Defendo o caminho do meio, o Capitalismo Consciente, que facilita a concretização de sonhos, cria mercados e oferece educação, saúde e segurança de qualidade para todos. O Capitalismo Consciente necessita de gente com dinheiro para comprar seus produtos, gente bem formada para trabalhar com competência nas empresas, escolas, hospitais e gente criativa para desenvolver arte, cultura e projetos novos, sem os quais, não tem muita graça viver.   

Sendo assim, convido os Radicais, para que sejam Radicalmente Contra Notícias Aterradoras, Radicalmente contra a Falta de Consciência, Radicalmente contra a Falta de Campanhas Eleitorais Inteligentes e Radicalmente contra a Falta de Empatia, sem a qual não é possível se construir um mundo melhor.

Cristina Mattoso – Bela Urbana, pessoa comunicativa, mas nem sempre. Gosta de árvores, escrever, viajar, ler e comer bem. Considera as frutas, iguarias de Deus. Dança pouco, mas gosta muito. Sonhadora, voltou a se dedicar a um trabalho antigo de educação para cidadania e a resgatar o acervo de peças arquitetura do séc IXX, fundado por sua mãe em Araçariguama, SP. Seu sonho é fazer de lá um espaço para o desenvolvimento e divulgação de Arte, Cultura, Conhecimento e Educação Emocional.

Comentários

comments