Uma vez ele me levou para o primeiro dia de aula na faculdade
E lutou para dar as costas
Eu já sabia

Uma vez ele me levou para o aeroporto
E testemunhou eu desaparecer na multidão
Eu já sabia

Uma vez ele me levou para a primeira festa
E fingiu que ia pra casa descansar
Mas não conseguiu pensar em mais nada
Eu já sabia

Uma vez eu passei no vestibular
E ele vibrou mais do que eu
Eu já sabia

Uma vez, ou melhor, muitas, eu o chamei na escola
E ele deixou de ir no trabalho por isso
Eu já sabia

Tantas foram as noites
Que para ele foram dias
Por conta de uma tosse boba minha
E eu com certeza já sabia

Uma vez ele viu meus primeiros passos
Eu não sabia
Mas já sentia
E ele tinha certeza

De que seríamos nós dois contra o mundo
Para sempre
Que ele faria eu ser
Quem quer que fosse a mulher que eu me tornaria
E hoje eu sou amor
Carinho
Paciência
Amizade
Doçura
(E graças a ele, claro, uma exímia dançarina)
Porque é isso que ele me ensinou
Ensinou, não – mostrou
Todos os dias

E esse tempo todo eu já sabia
Eu sempre soube
Que ele seria a razão
Pela qual não teria medo
Pela qual eu cresceria
Pela qual eu nunca me sentiria sozinha
Pela qual eu realmente nunca estaria sozinha

Feliz dia dos pais
Para aquele que merece
Fogos
Festas
Parabenizações
Mérito
Agradecimentos
O mundo
Todos os dias

Giulia Giacomello Pompilio – Bela Urbana, estudante de engenharia mecânica da UNICAMP, participa de grupos ativistas e feministas da faculdade, como o Engenheiras que Resistem. Fluente em 4 idiomas. Gosta de escrever poemas, contos e textos curtos, jogar tênis, aprender novos instrumentos e dançar sapateado. Foi premiada em olimpíadas e concursos nacionais e internacionais de matemática, programação, astronomia e física, além de ter um prêmio em uma simulação oficial da ONU

Comentários

comments