Brasil
Terça Feira 3 de Maio de 2022.

Hoje foi mais uma terça daquelas que meu pequeno tenta me convencer de que está com febre, fome, sono e outras mil histórias que conhecemos bem para não ir à escola. A manipulação vem e o corte certeiro volta.

Hoje foi mais uma terça mas com um toque diferente, meu filho estava choroso e querendo abraços. Me disse que não ia conseguir ficar longe, pois teve um pesadelo e me pediu “Mamãe por favor não morra!”. Como ouvir algo assim sem tremer toda minha musculatura? O que eu poderia dizer? Não poderia prometer mas o coração de mãe não se engana, e disso eu sabia.

Fizemos um acordo, “meu amor você está em meu coração e eu preciso estar sempre no seu coração também, quando não pudermos nos ver por seja por dias ou por uma eternidade você vai sentir a brisa do vento em sua face e lá serei eu à te tocar, quando olhar para os dias ensolarados serão os dias que eu mais te amarei e quando forem os dias de chuva, saiba que ali é meu amor transbordando de todo meu coração e nunca mais estaremos longe um do outro”.

Ele me abraçou, chorou e eu perguntei porque estava escorrendo aquelas lágrimas no seu rostinho, ele me olhou e disse “meu amor está transbordando neste momento mamãe, vou para escola porque sei que vai estar comigo sempre que eu ver o sol, a chuva ou o vento”.

A maternidade é isso, não dá pra explicar. Você só saberá sentir.

Quero dedicar este texto a meu filho, o meu grande companheiro e amor da minha vida.

Bebessauro

Gi Gonçalves – Bela Urbana, mãe, mulher e profissional. Acredita na igualdade social e luta por um mundo onde as mulheres conheçam o seu próprio valor. 

Comentários

comments