O amor nem sempre é flor,
mas guarda consigo a primavera.
Quando o cotidiano traz o inverno, 
Quando os dias iguais esfriam o coração
Quando as manhãs não mais abraçam o sol
e os nossos jardins internos carecem de borboletas
É hora de fazer o amor florir de novo
E recolorir tudo à volta.
O Amar é tão importante quanto o Amor em si
É esse querer, é esse cuidado
Que semeia os recomeços
E faz renascer a florada
Num processo contínuo, dedicado
Que se debruça sobre o tempo,
Em delicado movimento,
Paciente, consciente e incansável.
Corações sábios pulsam contínuas primaveras.
É que os amores de muitas floradas sabem
o valor de cada pétala,
de cada florzinha, de cada detalhe de cor.
E assim, de florada em florada,
se eterniza o amor.

Alda Nilma de Miranda – Bela Urbana, publicitária, autora da coleção infantil “Tem planta que virou bicho!” e mais 03 livros saindo do forno. Gosta de tudo que envolve tinta e papel: ler, desenhar e escrever, mas o que gosta mesmo é de inventar motivos para reunir gente querida. Afinal, tem coisa melhor que usar o tempo para estar com os amigos?

Related posts:

Comentários

comments