shutterstock_273696566

Hoje tive o primeiro encontro com a consultora financeira. Sim, uma mulher, afinal, com certeza terá sensibilidade para entender algumas das minhas fraquezas.

Engana-se quem pensa que estou falando de bolsas e sapatos, falo de gastos com filho, família e amigos.  Sim, me rendo às necessidades do meu filho, que muitas vezes não são necessariamente necessárias. Rendo-me a  bons restaurantes com a família, e por fim, me rendo a encontro com os amigos!

Nota 3 – rendida (se tiver curiosidade, a nota 1 e 2, encontram-se o depoimento pessoal  1.

Neste primeiro encontro, fui questionada em relação as minhas entradas e saídas, quanto ganho e onde gasto.

Essa parte me pareceu fácil, se não fosse por alguns detalhes que não soube responder prontamente, como por exemplo?

_ A conta que tem no banco, quanto custa? Você participa de programa de recompensa de seu banco? Seu cartão é internacional? Quanto custa?

_ Você tem a média dos gastos que não são fixos, mas são previstos?

Hummmm, a essa altura, percebi que nada sei em relação ao meu orçamento.

E por aí foi… foram muitas perguntas, algumas respostas certeiras e muitas questões a descobrir!

Resultado? Lição de casa!

Durante todo o mês de setembro, será necessário registrar todo e qualquer gasto e ainda, apontar a forma de pagamento, à vista, cartão de crédito, usou o ticket refeição, cheque, enfim…

Para a primeira semana de sontrole, tenho que  identificar o tipo de conta que possuo no banco, se disponho de um programa de recompensa, quanto pago pela conta, bem como identificar quais produtos, como investimentos diversos, ou ainda, empréstimos que no meu banco.

Conclusão: A primeira coisa é compreender o meu status financeiro atual!

Por enquanto é só, semana que vem tem mais!

2014-02-06-13-12-53

Mirela N. – Bela Urbana, faixa dos 30 e tantos anos, que está em busca do equilíbrio financeiro, principalmente agora que está com medo de só poder se aposentar com 65 anos. 

 

Comentários

comments