Silencio
Silício
Eu tento
O mundo imaginado

Passado
Pesado
A bolha
Separa o ar gelado

Me canso
Do encanto
Sinto tudo
E era só boato

Me cobram
Me dobram
Lados, tanques,
Guerra e maus tratos

Eu sumo
Eu durmo
Recolho
A paz não é covarde

Espera
Me espera
Eu volto
Mais forte que a cidade


Crido Santos – Belo urbano, designer e professor. Acredita que o saber e o sorriso são como um mel mágico que se multiplica ao se dividir, que adoça os sentidos e a vida. Adora a liberdade, a amizade, a gentileza, as viagens, os sabores, a música e o novo. Autor do blog Os Piores Poemas do Mundo e co-autor do livro O Corrosivo Coletivo.

Comentários

comments