Eu cansada de tantas manipulações, humilhações dele e da família! Pedi para ele ir embora! Ele prontamente atendeu! Sumiu!

Aparecia quando bem entendia, e para me culpabilizar e infernizar a vida!

Dias antes da minha filha nascer, eu já com 9 meses de gestação, ele apareceu em casa e das 23 da noite as 2 da manhã ele gritou, me fez ajoelhar aos seus pés e pedir desculpas!

Eu implorava perdão sem nem saber o motivo, e de maneira cruel ele olhava pra mim e gritava cobrando justificativa! Gritava para que eu falasse o motivo do perdão! Eu chorei por horas! Por dias! Eu não dormia, não descansava! Eu passava todos os minutos pedindo desculpas aos meus filhos!

Dias depois ele me enviou uma carta linda, dizendo que os problemas de um casal era responsabilidade dos dois! Que se ele fazia o que fazia, também era responsabilidade minha! ( E NÃO! ERA A PSICOPATIA DELE MESMO).

No hospital foi um show de horror! Ele carregava aquele teatro de pai maravilhado, a mãe atuando como a vó sensível que não se sentia a vontade em pegar a PRIMEIRA neta por minha causa! É mesmo eu passando por um trabalho de parto de quase 40 horas que resultou em uma cesárea, mesmo eu pedindo para não receber visitas! Mas estava o circo todo armado! A família dele toda! Levando comida para dentro do quarto, para eles, chamaram vizinhos, enquanto eu nem forças tinha para me levantar! Eu implorei para que não usassem perfumes fortes, pois eu ainda estava enjoando muito e por causa do meu bebê! Não adiantou! Chegavam banhados a perfumes e com marmitas de peixe!

E quando eu resolvi falar! Caos! Ele me pegou com o bebê no colo e me deixou na porta de casa como um saco de roupa suja!

Vez ou outra voltava, dizia que me amava e a nossa filha! Dizia que queria uma vida com a gente! Mas quando via que mesmo vulnerável, eu não mais aceitaria viver da maneira dele, a conversa mudava!

Dias depois da cesárea, eu ainda com físico e emocional tão sensível, ele forçou a barra para termos relações, eu tive uma crise de choro no meio! Ele teve raiva, vomitou o ódio dele por horas! Eu, puérpera, depois de meses de humilhação e ainda passando por isso!

Luciana me deu as mãos, juntou ao meu redor algumas amigas mulheres! Elas iam até mim toda semana! Me deixavam fortalecidas! Era uma corrente de proteção!

A dona do imóvel que eu morava, foi em casa cobrar o aluguel! Se deparou com uma mulher destruída e uma bebê no colo! Contei a história e ela ficou chocada! Atordoada foi atrás dele no intuito de responsabilizar ele pelo aluguel, era o mínimo!

Flávia chegou na casa deles e se deparou com ele e a mãe! Já com um documento pronto de autorização de despejo!
Ela voltou com os olhos marejados!

Luciana percebeu relutante, mas sem saída! Que precisava ser minha proteção! Então, não me deixava mais sozinha, as poucas vezes que ele ia até lá, tirar foto dos 15 minutos que passava com a filha no mês!

Inventou para meio mundo que eu não deixava ter contato!

Meu filho, mulheres ao meu redor e Luciana me tiraram do fundo do poço!

Eu pedi ajuda desde a gestação! Mas a sociedade está acostumada a passar pano pra macho escroto e psicopata! A sociedade está acostumada a culpabilizar a mulher por tudo! E assim foi comigo! Os amigos e amigas dele fingiram não ver! Apenas um amigo dele se aproximou de mim e me acolheu! Me ouvia em tantas noites insones de muito choro, me fortalecia só de estar ali comigo! Tentava desesperadamente me fazer entender toda a força que eu carregava e que nem eu mesma acreditava!

Eu tive a sorte de ter Luciana e Iuri ao meu lado! Eu tive a sorte dela ter me levado até a Amanda, uma psicóloga competente e sensível!

Lembro de quando eu estava certa de que não tinha motivos pra eu viver já que nem boa mãe eu era! E Amanda virou pra mim e disse: não faça de uma vírgula, a sua história de vida inteira!

E eu fixamente comecei a enxergar essa pessoa como uma vírgula!
E fixamente coloquei como meta me reerguer e fazer o mesmo com outras e para outras mulheres!

Quando já estava no meu atual casamento, grávida da minha terceira filha! Ele me procurou! Para novamente me humilhar! Me atacou falando que eu faço das minhas relações uma futura aposentadoria! Me acusando de estar engravidando para pegar dinheiro de cada pai! Ele, que nem pensão paga! Ele que se esforça para ligar uma vez no ano para a filha!

Ali, eu passei horas chorando, não por mim, mas por perceber que a atual mulher dele, já com uma filha deles, é mais uma vítima, mesmo que ela ainda não saiba! Pedi as deusas que mantenha elas em proteção!

Eu poderia passar semanas aqui escrevendo sobre todo o terror que passei!
Essa série de texto não representa nem 10% dos absurdos que eu vivi e que muitas mulheres estão vivendo!

Escrever sobre isso e cutucar essa ferida! Por mais cicatrizada que esteja, me fez tremer, me fez faltar o ar!

Esses homens abusivos e psicopatas deixam marcas eternas na gente!

Precisamos sempre que for possível gritas nossas histórias!

E eu mulher que carrega essa bagagem estendo minhas mãos pra você mulher que está passando por isso!

Você não está errada, você não é ruim, não é louca! Você é uma mulher incrível! E com certeza vai se reerguer! Você é uma mulher incrivelmente FODA!

Carol Oliveira – Bela Urbana, chef de cozinha, mãe de 3 filhos. Adoro escrever sobre o dia dia real. Inspirada pelas fotos do meu marido… Sigo tentando ver poesia e arte nesse momento de tanta angustia e medos!

Foto Ricardo Lima

Comentários

comments