Outro dia me deparei com um post na internet que dizia: “Não importa o quão bom você seja, um dia você poderá ser substituído.”

No mesmo momento lembrei do chavão: “Ninguém é insubstituível.”

Essa ideia sempre me incomodou.

Aprendi ao longo da minha vida pessoal e profissional que devemos aceitar o outro,  suas diferenças e que ninguém é igual a ninguém. Somos únicos. Não há duas impressões digitais iguais no mundo.

Então seremos trocados e não substituídos?

Fazendo uma rápida análise minha conclusão é que podemos ser trocados em diversas circunstâncias durante a vida: profissionalmente, na vida conjugal, na amizade mas nunca alguém ocupará nosso lugar e conseguirá nos substituir realmente.

Deixaremos nossa marca, nosso cheiro, nossa voz, nosso jeito e mesmo que com o tempo esquecidos ou desaparecidos pela morte não haverá substituto porque não se  substitui o insubstituível.

Vera Ligia Bellinazzi Peres – Bela Urbana, 53 anos, casada, ariana, pedagoga, diretora da creche “coração de maria”, avó do Léo. Feliz. Ama viver!

Related posts:

Comentários

comments