As vezes a cabeça fica tão cheia, mas tão cheia de tantos e diversos pensamentos… pensamentos que buscam saídas, pensamentos que começam frenéticos, mas cansados, vou entrando em um lugar que não tem lugar.

Sim, como se estivem no limbo… ficam lá quietos, não, na verdade não estão quietos, estão meio como mortos-vivos, porque já estão tão cansados que é melhor deixá-los assim, mortos-vivos.

Pensamentos tão cansados podem ser agressivos, depressivos e podem gerar ações assim, por isso, se estiver se sentindo dessa forma, deixe eles quietos, no limbo mesmo, até uma hora que você possa resgatá-los.

Eu muitas vezes me sinto um caos e é difícil explicar esse caos. Um caos que controlo, um caos que convivo, um caos que nunca desisto de arrumar, é isso, eu sou uma eterna arrumadora desse caos….. será que saberei viver sem ele?

Sim, é claro, porque a medida que arrumo e organizo, me livro desse, mas já invento outros… então, talvez ele sempre irá existir na minha existência… mas temos que conviver de forma amigável, sem que ele me engula, pacificamente.

Escrever com a cabeça tão cheia de vazio é um movimento de resistência, porque o vazio só nasceu de tão cansados que os pensamentos estavam e então, foram nesse momento para o limbo e lá estão como mortos-vivos. Escrever pode ser o remédio para que não virem zumbis sem volta.

The Walking Dead, acho que é isso que a Madame Zoraide indicaria nesse momento. É o que eu assisto nesses tempos, e devoro e adoro.

Adriana Chebabi  – Bela Urbana, idealizadora do blog Belas Urbanas onde faz curadoria dos textos e também escreve. Publicitária. Curiosa por natureza.  Divide seu tempo entre seu trabalho de comunicação e mkt e as diversas funções que toda mulher contemporânea tem que conciliar, especialmente quando tem filhos. É do signo de Leão, ascendente em Virgem e no horóscopo chinês Macaco. Isso explica muita coisa.

Foto: Gil Guzzo

Olá Consulentes!

Hoje vou falar sobre algo que sempre me perguntam, se existe o certo e o errado. E a resposta é sim. Sim, existe.

Mas a grande questão é nem sempre o seu certo é o meu, e o seu errado é o mesmo que do seu vizinho. E nisso está o dilema da questão da convivência. Estupidez versus sensatez.

Como saber se certezas não existem?

A resposta é simples, tão simples que parece coisa de brincadeira do tempo da mais pura infância e é justamente onde a sabedoria existe na sua forma mais plena.

Certo é tudo que não machuca. Errado é tudo que machuca.

Se souber e seguir isso, estará escolhendo com consciência o que quer escolher… seja o certo ou o errado.

Não entendeu o que é machucar e nem quem?

Certo, vou detalhar Consulente, mas essa sua falta de entendimento me cansa…. machucar é todos, você ou qualquer outro.

Escolha o seu caminho, eu torço que escolha o certo.

Até a próxima.

Madame Zoraide – Bela Urbana, nascida no início da década de 80, vinda de Vênus. Começou  atendendo pelo telefone, atingiu o sucesso absoluto, mas foi reprimida por forças maiores, tempos depois começou a fazer mapas astrais e estudar signos e numerologias, sempre soube tudo do presente, do passado, do futuro e dos cantos de qualquer lugar. É irônica, é sabida e é loira. Seu slogan é: ” Madame Zoraide sabe tudo”. Atende pela sua página no facebook @madamezoraide. Se é um personagem? Só a criadora sabe 

Olá Consulentes!

Feliz 2022! Esse é meu primeiro conselho do ano aqui no Belas Urbanas e serei bem direta como gosto de ser.

Sujeiras devem ser limpas. Não é só passar um pano, é limpar mesmo, passar detergente, água sanitária, sabão….. e varrer, mas nunca, nunca mesmo, para debaixo do tapete.

Os tapetes em geral são depósitos de sujeiras, que muitas vezes ficam lá esquecidas, mas não sumidas. Estão lá mesmo quando aparentemente você não vê, porém sente. A questão da sujeira é entre você e ela, não importa o que as visitas irão pensar. Só parecer limpo é uma tremenda burrice, tem que estar.

Chega um dia que é tanta poeira que você começa a espirrar sem parar. A garganta precisa respirar e você grita. Berra. Sua pressão sobe…. mas você, meu caro Consulente, não precisa chegar até esse ponto, é só limpar sempre, não deixe acumular, não varra para debaixo do tapete.

Entendeu? Se não entendeu, faça o seguinte, compre tapetes voadores, assim não corre risco de acumular nada e aproveita e voa com ele.

Se insisitir com isso, vou entender que é doido, doido que foi varrido para baixo do tapete e nunca mais saiu de lá…. é isso que quer para sua vida?

CORAGEM PARA VOAR.

Até a próxima.

Madame Zoraide – Bela Urbana, nascida no início da década de 80, vinda de Vênus. Começou  atendendo pelo telefone, atingiu o sucesso absoluto, mas foi reprimida por forças maiores, tempos depois começou a fazer mapas astrais e estudar signos e numerologias, sempre soube tudo do presente, do passado, do futuro e dos cantos de qualquer lugar. É irônica, é sabida e é loira. Seu slogan é: ” Madame Zoraide sabe tudo”. Atende pela sua página no facebook @madamezoraide. Se é um personagem? Só a criadora sabe 

Olá Consulentes!

Hoje não vim com meus conselhos, fui convidada para escrever na série do Belas Urbanas, UM LIVRO QUE TE MARCOU, gostei muito do convite e vou ser bem direta aqui.

O livro que me marcou conheci através do meu avô J. que era também um alquimista, foi o livro NUMEROLOGIA – o poder secreto dos números de Mary Anderson.

Li o livro diversas vezes, sei tudo, é meu livro de consultas.

Mas como eu não resisto, vou dar um conselho, um básico e direto conselho. Leia para uma criança, conte histórias, desperte a sua curiosidade. Eu não seria a MADAME ZORAIDE que sabe tudo se não lesse.

Gratidão Vô!

PS.: Consulente, se não entendeu é porque não leu. Leia e abra a mente.

Madame Zoraide – Bela Urbana, nascida no início da década de 80, vinda de Vênus. Começou  atendendo pelo telefone, atingiu o sucesso absoluto, mas foi reprimida por forças maiores, tempos depois começou a fazer mapas astrais e estudar signos e numerologias, sempre soube tudo do presente, do passado, do futuro e dos cantos de qualquer lugar. É irônica, é sabida e é loira. Seu slogan é: ” Madame Zoraide sabe tudo”. Atende pela sua página no facebook @madamezoraide. Se é um personagem? Só a criadora sabe 

Olá Consulentes!

Tenho um caso de amor com minha pasta de dente, é um amor efêmero, mas verdadeiro nos nossos momentos. Quero falar para vocês sobre esse amor.

Seu conteúdo me faz bem, uso e abuso. Não, abuso é brincadeira. Uso nos momentos certos, mas esse usar é uma troca, afinal a pasta é feita para ser usada. Seu gosto tem que ser gostoso, afinal, sem querer posso engolir, ulalá.

Não ligo como aperto seu conteúdo. Tem gente que fica totalmente irritada a essa questão. Eu não ligo, aperto sem pensar e me delício. Sem preconceitos e sem problemas. Criar problemas por causa da embalagem da pasta de dente é o Ó. Pare de criar problemas onde não existem. Terapia já se esse é seu caso.

Quando a pasta termina, agradeço nossas trocas, ela deu o seu melhor e eu aproveitei como tinha que ser. Depois coloco sua embalagem para reciclagem… agora se será mesmo reciclada eu não sei dizer, mas faço minha parte.

Depois, compro outra, nem sempre do mesma marca ou sabor, mas tenho minha preferida, porém para valorizá-lá prefiro ir alternando para a saudades se fazer presente.

Vocês não entenderam como isso é um caso de amor?

Me poupem Consulentes, as vezes vocês são difíceis demais… façam então o seguinte, passem um dia inteiro sem usar uma pasta de dente, só um diazinho e depois me digam.

Até a próxima, com os dentes escovadinhos…. e amando, é claro 😉

Madame Zoraide – Bela Urbana, nascida no início da década de 80, vinda de Vênus. Começou  atendendo pelo telefone, atingiu o sucesso absoluto, mas foi reprimida por forças maiores, tempos depois começou a fazer mapas astrais e estudar signos e numerologias, sempre soube tudo do presente, do passado, do futuro e dos cantos de qualquer lugar. É irônica, é sabida e é loira. Seu slogan é: ” Madame Zoraide sabe tudo”. Atende pela sua página no facebook @madamezoraide. Se é um personagem? Só a criadora sabe 

A série HISTÓRIAS DE AMOR foi uma dessas séries leves, gostosas e tão necessárias de serem ditas. Tivemos a estreia de colunistas novos, como a Shirley, que nos trouxe uma linda história inspiradora, de que em qualquer tempo pode haver um reencontro, como a dela, de um amor real, De J’teaime moi non plus à Amor I love you. O Alfredo abriu para todos os leitores seus guardados com Uma carta de Amor escrita numa Olivetti. Carta real. Será que foi entregue? Afinal, a carta está com ele, mas essa história quem sabe ele nos conta outra hora. E por falar em carta, a Liliane veio com Carta Aberta ao Amor, que delícia de texto! Já o Bernardo fez sua estreia com dois textos, em Dose Extra de Amor ele nos diz que “amor é todo dia, sem adiamentos”. Alguém duvida? Eu não. E ainda em Noite de Picadeiro que nos faz sentir na pele do protagonista com todas suas emoções. Uma boa turma nova que chegou aqui no Belas Urbanas, super bem-vindos.

Tivemos três #tbts, o da Claudia com sua poesia RETRATO e seu contar sobre a relação de uma taurina e um escorpiano. Aliás, o que é um retrato? Penso que é captar a poesia do dia a dia e apreciar. Por mais retratos então! Macarena também nos falou dos signos, Virgem e Peixes. Histórias verdadeiras, mesmo quando são passageiras, marcam nossas almas positivamente, bom seria se todas fossem assim. Será que podemos fazer do limão sempre a limonada? Eu não sei, mas ando aprendendo. Tove com seu Um conto moderno, mas ainda assim, encantado! mostra que a modernidade não é sinônimo de frieza e percebemos que contos reais são melhores que os de fada. Seu conto nos desperta aquela esperança de que tudo é possível em qualquer fase da vida, igual ao da Shirley. Sim, estamos todos ligados e nem sabemos, até nas histórias com similaridades.

Marina conta Sobre um amor bom, e um bom amor nem sempre segue a regra do felizes para sempre, mas fica na alma e desperta aquele sorriso no rosto ao lembrarmos. Roberta com sua A linguagem do amor… nos faz refletir sobre o que leva as pessoas a se enamorar senão o próprio sentimento de amar. Lembrei uma música que diz: “toda forma de amor vale a pena e toda forma de amor vale amar”, abaixo aos preconceitos, deixe que cada um ame quem quiser. André faz uma declaração para Marina. Quem já recebeu uma declaração de amor? Quem ainda nunca fez uma declaração? Se não fez, está em tempo, faça! Mesmo que as mãos fiquem trêmulas, mesmo que o coração acelere. A vida é aqui e agora, não deixe passar. Não tenha vergonha de mostrar sua felicidade. Escrevi sobre Meu primeiro amor, e disse: “por que algumas vezes temos vergonha e queremos disfarçar nossa felicidade?“, deixo a pergunta aberta para vocês… preciso saber a resposta. Outro ponto muito bacana desse texto foi o retorno que os leitores deram de que a história resgatou uma conexão com suas próprias histórias.

Afinal, o que todos queremos saber Sobre um bom amor é o que significa isso. A Siomara, com toda sua delicadeza, trouxe claramente em sua poesia “para ser leve não precisava ser breve…” e que “para ser fogo não precisava ser doente”. Bingo! É isso. Faço a analogia com a música do Titãs “a gente quer comida, diversão e arte…”, nada menos que isso quando falamos de amor, de um bom amor. E por falar em comida, nos Conselhos da Madame Zoraide – 24 – Amor ela diz que o “amor é barriga“, essa Madame Z sai das explicações lógicas, mas fica claro seu ponto de vista quando diz: “O AMOR não se entende, só se sente, como a barriga”. Não tem como negar uma dor de barriga meus amigos!

E para fechar essa série temos a psicóloga Clarissa em seu texto Relacionamento Saudável e seus desafios que reflete sobre esse caminhar a dois, onde essa máxima que diz que opostos se atraem caem por terra. Opostos não duram, o que faz durar são olhares parecidos entre tantas outras boas coisas da vida. Vale a pena ler. Aliás, vale a pena ler todos, de preferência pela ordem de postagem, garanto que as leituras serão uma injeção de alegria nesse domingo.

Amor melhora tudo!

Adriana Chebabi  – Bela Urbana, idealizadora do blog Belas Urbanas onde faz curadoria dos textos e também escreve. Publicitária. Curiosa por natureza.  Divide seu tempo entre seu trabalho de comunicação e mkt e as diversas funções que toda mulher contemporânea tem que conciliar, especialmente quando tem filhos. É do signo de Leão, ascendente em Virgem e no horóscopo chinês Macaco. Isso explica muita coisa.

Olá Consulentes, hoje vamos falar sobre o amor.

O AMOR é barriga.

Barriga tanquinho, gordinha, com estrias, flácida.

Barriga que gera filho. Barriga que tem umbigo.

Amor é barriga.

Barriga que tem fome. Barriga que fica apertada.

Barriga morena, branquinha, pretinha, manchada e machucada.

Amor é barriga e se você não entendeu nada caro Consulente, só posso te dizer que você precisa comer e fazer abdominais.

Depois disso se ainda não entender… difícil heim!

O AMOR não se entende, só se sente, como a barriga. Entendeu agora?

Madame Zoraide – Bela Urbana, nascida no início da década de 80, vinda de Vênus. Começou  atendendo pelo telefone, atingiu o sucesso absoluto, mas foi reprimida por forças maiores, tempos depois começou a fazer mapas astrais e estudar signos e numerologias, sempre soube tudo do presente, do passado, do futuro e dos cantos de qualquer lugar. É irônica, é sabida e é loira. Seu slogan é: ” Madame Zoraide sabe tudo”. Atende pela sua página no facebook @madamezoraide. Se é um personagem? Só a criadora sabe 

Consulentes

O momento é de recolhimento. Recolher não para encolher, mas para colher.

Frutos novos nascerão dentro de cada um que puder além de sobreviver, VIVER o novo, renascer.

Pra renascer e preciso morrer. Isso é a Páscoa, a morte para a nova vida. O ovo simboliza o nascimento. O ovo hoje é a esperança da vacina.

Ovos controlados cujos embriões serão utilizados em um processo muito especial: produzir vacinas para imunização humana contra a pandemia do covid 19.

Consulentes, desejo muito ovos para comerem cozido, frito, mexido, ovo de chocolate, mas acima de todos o OVO ESPERANÇA, o que traz a cura física, e se você de fato renascer, o que traz a cura para as dores da alma.

Para quem acha ainda que tudo isso é UMA OVA, eu lamento com as familias de todos 2,5 milhões de pessoas que não tiveram a chance de renascer, e ainda digo, usando uma frase de Cristo, aquele que renasceu nesse dia de Páscoa, “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem”.

Aproveite a chance, renasça! Força! Feliz Páscoa!

Madame Zoraide – Bela Urbana, nascida no início da década de 80, vinda de Vênus. Começou  atendendo pelo telefone, atingiu o sucesso absoluto, mas foi reprimida por forças maiores, tempos depois começou a fazer mapas astrais e estudar signos e numerologias, sempre soube tudo do presente, do passado, do futuro e dos cantos de qualquer lugar. É irônica, é sabida e é loira. Seu slogan é: ” Madame Zoraide sabe tudo”. Atende pela sua página no facebook @madamezoraide. Se é um personagem? Só a criadora sabe 



Incendiei o teu jardim

Rabisquei tuas pinturas

As partituras que você compôs

Manchei com vinho tinto

Eu cuspi nos teus versos

As cartas de amor eu rasguei

Uma por uma

O poeta tinha razão

Eram ridículas

Hoje não tem flor nem telas

Tua música está de ressaca

O poema está contaminado

E não sobraram cartas para contar a nossa história

MADAME ZORAIDE: – “Para combatermos os freios morais inibidores. Um copo de vinho. “

Fernando Farah – Belo Urbano, graduado em Direito e Antropologia. Advogado apaixonado por todas as artes!

Olá Consulentes!

Hoje minha conversa é com as mulheres, afinal, no mês de março comemoramos o Dia Internacional da Mulheres.

Vocês se lembram como era brincar de ciranda quando eram meninas?

Qual é o segredo de uma boa ciranda? Mãos dadas, entrelaçadas, mesmo ritmo, pés firmes, voz solta.

Quando acaba uma ciranda? Quando alguma solta a mão, quando alguma cai no chão.

Quando a ciranda perde força? Quando a voz de uma cala, quando uma tropeça.

O segredo é esse, a ciranda das mulheres é a vida que vivemos todos os dias.

Se uma não está bem, nenhuma estará cem por cento também. Você pode até achar que a dor da outra não te atinge… mero engano! Pense na ciranda.

Se uma do seu lado cai, ajude-a a se levantar… se você cair, aceite a ajuda. Jamais fechem os olhos. Somos todas uma unidade!

Cante agora em voz alta: “Ciranda, cirandinha, vamos todos cirandar… Vamos dar a meia-volta, Volta e meia vamos dar”.

Entenderam a brincadeira? Hora de brincar então.

Até a próxima.

PS.: Em tempo, FELIZ DIA DAS MULHERES!

Madame Zoraide – Bela Urbana, nascida no início da década de 80, vinda de Vênus. Começou  atendendo pelo telefone, atingiu o sucesso absoluto, mas foi reprimida por forças maiores, tempos depois começou a fazer mapas astrais e estudar signos e numerologias, sempre soube tudo do presente, do passado, do futuro e dos cantos de qualquer lugar. É irônica, é sabida e é loira. Seu slogan é: ” Madame Zoraide sabe tudo”. Atende pela sua página no facebook @madamezoraide. Se é um personagem? Só a criadora sabe