No primeiro dia ele disse como eu era linda e ele me amava;

No segundo dia ele lavou toda a louça comigo, passou nossas roupas e cozinhou pra mim;

No terceiro dia ele elogiou minha roupa;

No quarto dia ele falou que adorava meus amigos;

No quinto dia ele me encorajou a arrumar emprego;

No sexto dia ele perguntou se não era melhor eu tirar o batom;

No sétimo dia ele falou que achava melhor eu não sair com meus amigos porque eu tinha que dar mais atenção pra ele;

No oitavo dia ele reclamou que eu trabalhava muito e disse que talvez fosse hora de parar;

No nono dia ele parou de lavar a roupa e me mandou fazer a janta;

No décimo dia eu já não tinha mais certeza

Se eu era eu

Ou era dele

Giulia Giacomello Pompilio – Bela Urbana, estudante de engenharia mecânica da UNICAMP, participa de grupos ativistas e feministas da faculdade, como o Engenheiras que Resistem. Fluente em 4 idiomas. Gosta de escrever poemas, contos e textos curtos, jogar tênis, aprender novos instrumentos e dançar sapateado. Foi premiada em olimpíadas e concursos nacionais e internacionais de matemática, programação, astronomia e física, além de ter um prêmio em uma simulação oficial da ONU.

As crianças estão morrendo de vontade de ter um cachorro aqui. Mas olha a responsa! A gente ama mas precisamos pensar muito.

Os alemães tem uma adoração imensa por estes bichinhos, que estão em toda a parte.

Apesar da adoração, ter um cachorro, na Alemanha, pode custar caro. O preço de um labrador pode chegar a 1.500 euros.

Fora isso, a lei obriga o proprietário a pagar imposto pela posse. A taxa (varia de cidade para cidade), fica entre 60 e 160 euros por ano para o primeiro cão e, de regra, aumenta para cada cachorro adicional, e os cães de combate, pitbull e etc., pagam em média 700 euros.

Já para os donos de cães treinados (guias para cegos, salva-vidas e dos usados em terapias) há redução no imposto.

O dono tem que tirar uma “carteira de cachorro” demonstrando que foi aprovado para ter o animal. Além de alimentá-lo e dar carinho, o cão não pode ficar mais de 3 horas sozinho, e caso esteja latindo muito por estar só, os vizinhos podem ligar para que que venham resgatá-lo e o dono paga uma multa!

E agora? Ter ou não ter?

Esses bichinhos tão vivendo melhor que eu.

Silvia Lima – Bela Urbana, publicitária, leonina, mãe do Gabriel e Lucas. Atua na área de moda internacional com foco em sustentabilidade. Mora em Stuttgart, adora uma viagem, só ou bem acompanhada, regada a muito vinho. Acredita no casamento, desde que não seja sempre com o mesmo marido, já que está no terceiro, que foi coletando mundo afora! É uma das sócias da Kbsa Inovação Responsável, que ajuda empresas de moda brasileiras a atuarem no mercado internacional por meio da sustentabilidade. www.kbsa.com.br

 

1