2017 foi um ano de MUITAS mudanças na minha vida! Entre as diversas mudanças, a que as pessoas mais comentam são os vários quilos que eu emagreci!! Estou impressionada e confesso, bastante surpresa e até mesmo chocada sobre como isso impacta a forma como algumas pessoas me vêem!! Ouvi diversos comentários sobre a “minha nova aparência” (será que mudei tanto assim?). Todos comentários “positivos”! No começo, ficava até feliz: quem não gosta de se sentir magra e “bonita”, de caber em qualquer roupa e ter o armário quadruplicado de opções? rs… mas, com o tempo, a alegria foi se tornando surpresa e ultimamente se transformou em espanto! E na última semana virou indignação total ao ouvir, de pessoas diferentes, em situações diferentes, comentários como:

1. Nossa! Você é uma outra pessoa! muito melhor!

2. Agora você pode até voltar a trabalhar no mundo corporativo!

3. “Agora” você vai “até” arrumar um namorado! E a máxima dessa semana: “você “merece” até um marido novo!”

Oi? Como assim? Será que as pessoas achavam mesmo que estavam me elogiando ou me dando um reforço positivo ao fazerem esses comentários? Uma mulher se torna uma “pessoa melhor” porque emagreceu? Porque a aparência atual está mais de acordo com o padrão estético socialmente aceitável?

Meu QI melhorou ou minhas habilidades profissionais aumentaram porque eu emagreci? Isso acontece com as pessoas que emagrecem? Elas se tornam mais capazes profissionalmente?

E só quem é magrinha merece namorado e marido novo? Desde quando a capacidade de amar e ser amado tem a ver com o peso da pessoa?

Então…. apesar dos quilos a menos (12, no espaço de 9 meses) informo que continuo a mesmíssima pessoa: mãe babona, cozinheira apaixonada (logo eu, que adorava dizer que cozinheiras magras não são de confiança! rs), ainda perco a chave do carro e o celular todos os dias, adoro viajar, amo vinho, odeio injustiça, coentro e pimentão, etc, etc, etc… tudo igualzinho como era antes! Continuo solteira (porque ser magra não faz aparecer nenhum príncipe encantado!! rs) e morando e trabalhando no meio do mato!

Nada mudou! Simplesmente porque minha essência, que não é medida em gramas ou quilos, continua exatamente a mesma!

Katia Reis – Bela Urbana, arquiteta, empresária, cozinheira, mãe babona, adora viajar, ama vinho, escrever e receber amigos

Sabe porque esta frase acima é tão importante?

Porque foi através dela que estes dias eu me dei conta de algumas coisas:

– Quando nossos filhos têm até 1 ano em média, antes deles começarem a andar. Conseguimos ir no banheiro porque sabe que eles estão no carrinho, ou com alguém olhando eles um pouquinho pra gente. Mas a gente relaxa? Não…fica esticando o pescoço pra ver se está tudo bem…

– Quando eles começam a andar e até mais ou menos uns 5 anos… a gente não para para ir ao banheiro porque está o tempo todo preocupada se ele não subiu nos móveis, na janela….ah, mas tem o marido olhando….pior ainda, os filhos sempre escapam e os maridos acham que somos neuróticas e nunca vai acontecer nada…então eles fingem que olham e a gente finge que acredita e….não conseguimos ficar apenas esticando o pescoço….paramos menos tempo no banheiro….o que? De 5 para 3 minutos? Não….30 segundos apenas!

– Quando eles crescem mais um pouco…até os 12 anos…. a gente ainda não para pra ir ao banheiro porque eles nos chamam o tempo todo! Sempre querem alguma coisa…e o marido? Chama a gente também! Bom, alguns vão lá ver o que os filhos querem, mas…depois acabam dizendo: espere que sua mãe sabe o que faz…

Tudo isso pra dizer que ontem, tendo meus filhos com 13 e outro com 14, eu estava no banheiro e um deles abriu a porta e veio me perguntar alguma coisa…

De início eu fiquei brava por dentro mas me contive…enquanto ele não parava de falar, eu fiquei estatelada olhando pra ele e fiz aquela carinha do gato do Shrek, de coitado, virei a cabeça de lado, continuei olhando pra ele e percebi o quanto meus filhos cresceram, e que com 16 anos já vão prestar vestibular, sair de casa com 17 e……não!  Não, continuei indo no banheiro tranquilamente e meu intestino preso…, mas eu relaxei, curti o momento e….

Meu vizinho me apresentou um suco milagroso de manhã que chamou de “secapança”. Ele diminui o colesterol, emagrece e faz bem à saúde. Resultado: fiquei mais saudável e agora, com tanta fibra, vou no banheiro rapidinho e fico mais tempo com eles….kkk

Quer a receita? Claro né, odeio quando contam os milagres e não contam o santo!

 

Suco seca pança – 1 pessoa

1 rodela de berinjela com casca

1 rodela de beterraba sem casca

Meia banana

200 ml de agua

Suco de 1 laranja

Meia folha de couve

Um fiozinho de mel

 

Bata tudo no liquidificador, tome e espere meia hora antes de comer alguma coisa….boa sorte!

Roberta Corsi – Bela Urbana, coordenadora do Movimento Gentileza Sim que tem como objetivo “unir pessoas que acreditam na gentileza” e incansavelmente positiva, para conhecer o movimento acesse https://www.facebook.com/movimentogentilezasim 

 

Que delícia poder escolher uma roupa e não ser escolhido por ela, escolher uma comida e não ser seduzido e abduzido por ela e não conseguir parar de comer até ver o prato com os restos mortais dentro da pia, me sinto super poderosa quando alguém me oferece um pedaço de bolo de chocolate e eu corajosamente digo: não, obrigada, hoje sou uma nova pessoa, uma recém ex-gorda ainda em processo de emagrecimento (me faltam pouco menos de três quilos para atingir meu objetivo pessoal de perda de peso) e uma vida toda de manutenção para não engordar 24 quilos outra vez. Sete meses atrás o cenário era completamente diferente e eu não tinha perspectiva alguma de mudança, emagrecer dependia somente de mim e eu dependia de bolos, doces, happy hours, guloseimas, carboidratos e chocolate, a minha força de vontade de me livrar dos quilos adicionais era mínima, durava apenas algumas horas da manhã de segunda-feira quando eu tomava um café da manhã leve e lá pelas 10:00 já tinha devorado um salgado frito ou um pedaço de bolo, ou até o próximo convite para sair com amigos, ou qualquer outra ocasião social, lá íamos meu marido e eu os gordinhos simpáticos muito felizes para mais um churrasco regado a muita picanha e cerveja, porém nos bastidores, sofríamos juntos quando proibíamos nossas filhas (temos duas, uma de 7 e outra de 5 anos) de comer chocolate a noite e depois que elas iam dormir devorávamos uma ou duas barras grandes em frente a TV, estamos na faixa dos 40 anos portanto sabíamos que aquele estilo de vida já não era adequado para nós, mas a força de vontade estava escondida no fundo do nosso estômago.

A motivação veio pela situação física do meu marido que estava com 162 quilos, com 1,90 de altura, obesidade mórbida, eu com 1,65 de altura e quase 84 quilos, obesidade moderada, ele tinha apnéia do sono e tinha que usar uma máscara para dormir (CPAP) e roncava muito, além disso, tinha muitas dores nas costas, não tinha ânimo para nada, vivia cansado e estressado e para relaxar nós comíamos, foi quando meu marido me disse que iria fazer a cirurgia bariátrica, conheço várias pessoas que passaram por esse procedimento e voltaram a engordar, o procedimento não resolve a mentalidade de gordo, com o agravante do risco de sérias consequências decorrentes da cirurgia, a contragosto com o plano dele que deu sequência a todos os procedimentos necessários para tal. Foi quando encontramos um amigo nosso, quando o vi fiquei completamente sem fala ele tinha perdido 75 quilos sem cirurgia e estava muito diferente, assim soubemos do método de emagrecimento da CUCA.

Meu marido entrou para o programa de emagrecimento da CUCA academia como o último recurso antes de partir para a bariátrica eu me comprometi a ajudá-lo e com os cardápios da Cuca me organizei e adaptei a dieta dele para mim, assim eu cozinhava para nós dois, em 2/04/2014 iniciamos nossa grande aventura rumo ao emagrecimento, hoje (sete meses depois) com 65 quilos eliminados, ele  pesa 97 quilos, e eu peso 62,9 quilos (eliminei 20,5 quilos até agora), nossa vida mudou radicalmente, a dieta é variada e uma delícia, porém muito trabalhosa, vou a supermercado/hortifruti de duas a três vezes por semana, cozinho como nunca fiz antes em minha vida, a vida social se resume em levar marmita para todos os lugares fora de nossa casa, temos que programar totalmente a nossa vida alimentar para não furar a dieta, o exercício físico faz parte da rotina dele, mas nunca me senti tão feliz e realizada, a sensação anterior de fracasso foi substituída por um grande orgulho de nós, como casal obtivemos um feito grandioso, o curioso é que podemos discutir por qualquer outra coisa porém até agora não me lembro de jamais termos discutido por causa da dieta, nos ajudamos, nos incentivamos, nos organizamos para que tudo funcione da melhor maneira possível, formamos uma dupla imbatível nesse quesito, estamos juntos há 15 anos e nunca estivemos tão unidos quanto agora, as maiores recompensas: meu marido ficou curado da apnéia do sono, não ronca mais, tem muita energia para brincar com as crianças, eu estava como a glicose alta e hoje estou com o a glicemia normal.

antesedepois

Agradeço as forças invisíveis do Universo que fizeram com que as pessoas e situações certas chegassem até nós para que a mudança de fato ocorresse, a meu marido, (sem o qual eu não teria conseguido), ele é fonte de  forças para momentos ásperos, meu exemplo a ser seguido com sua constância e perseverança, agradeço a Cuca, profissional experiente, competente e dedicada. O melhor de tudo isso é que ainda posso comer todas as comidinhas que eu amo, quando quero mas não sou mais controlada por elas, sou EU e ninguém mais quem controla a quantidade de comida e o que eu como, eu não sou influenciada pelas pessoas, pelas festas ou pelas comidas, quem manda na minha boca hoje e sempre sou eu.

antesedepois2Eliane Ibrahim – Administradora, recém ex-gorda, 43 anos, sócia da Escola de Inglês inFlux Cambuí, mãe da Clara e da Luisa, esposa do Celso,  apaixonada pelas flores por viagens e por cozinhar e comer.

Fazer academia e dieta me pareceu uma boa ideia, mas para isso eu deveria superar a barreira da acomodação e deixar o “estilo gordo de ser” para trás.

Meus exames mostram, na atual e tenra idade de 42 anos, um colesterol um pouco alto e a possibilidade de convencer os outros índices do meu corpo a acompanhar sua viagem rumo ao topo. Sinal de alerta, bronca do médico e a principal preocupação: Sou jovem, ainda não me casei e nem tenho filhos. Preciso mudar.

Fiz minha inscrição em uma academia e, apesar de já ter sido muita coisa – faixa preta de karatê, nadador, atleta, sarado, bonitão, etc – eu sou o próprio tio sedentário e em forma de coxinha recheada de queijo com frango..huumm..e acompanhada de uma cerveja gelada, uma pimenta e……não, calma, foco..vamos voltar a academia. Bom, feita a matrícula era hora de passar pela humilhante avaliação.

Aqui cabe uma observação. Se você está, assim como eu, há muito tempo sem praticar qualquer atividade física que não seja abrir a geladeira, jogar bolinha para o cão correr, e não você, usar as pernas para sentar e levantar do sofá e para ir pagar e receber o entregador de pizza na porta de casa, então você vai ser massacrado sem piedade e nem dó na avaliação.

Bom, descobri que o peso na balança é pura mentira. O que vale é a tal “taxa de gordura” e a minha está em 32%, ou seja, 32% dos meus quilos são de pura pururuca e panceta, e por falar em panceta, a minha barriga já foi promovida a pança há muito tempo.

O resultado da avaliação foi que eu sou obeso classe II,  que flexibilidade já não me pertence mais e que se eu tiver que correr atrás de uma criança de 2 anos por mais de 20 metros posso ter um infarto. Começo a treinar semana que vem e contarei para vocês o meu progresso.

foto Daniel

Daniel Ribeiro – tem 42 anos é publicitário há 22 anos, trabalha na Modo Comunicação e Marketing,  é  faixa preta de Karatê, ex-nadador e ex-magro. Escritor nas horas vagas, empreendedor e focado em seu maior projeto, voltar a ser magro.

Bom dia Belas Urbanas!

Vamos falar de energia? Quem não quer tê-la o dia todo para dar e vender? Disposição para cumprir todas as tarefas do dia? Temos como melhorar nossos estoques, sem que eles virem os tão indesejáveis depósitos de gordura?

Claro que sim!  Para isso, vamos dar mais um pequeno passo…

Nossas necessidades nutricionais mudam de acordo com as diferentes fases da vida. Pensando sempre nos nossos pequenos passos visando à melhora do nossa qualidade de vida, é importante levarmos em conta essas necessidades atendendo as demandas extras do nosso corpo determinadas por estas mudanças.

Faça uma dieta variada contendo frutas, vegetais, grãos integrais, legumes, produtos lácteos (para aqueles que não possuem intolerância à lactose), vão de encontro as nossas necessidades básicas, fornecendo:

  • Uma grande variedade de alimentos ricos em nutrientes. Quanto mais nutrientes conseguirmos em pequenas porções de alimentos, maior a densidade nutritiva da nossa alimentação.
  • Calorias para suprir a necessidade de energia, principalmente provenientes de carboidratos, de preferência àqueles ricos em fibras (grãos integrais)
  • Gorduras de boa qualidade (insaturadas) como as do peixe, castanhas e abacate
  • Proteínas em quantidades adequadas para a manutenção e reparação das células
  • Vitaminas hidro e lipossolúveis
  • Minerais essenciais como ferro, cálcio, zinco, magnésio e selênio
  • Fitoquímicos, que são compostos vegetais, que podem proteger das doenças do coração, diabetes, alguns tipos de câncer, artrite e osteoporose

Não se esqueça de consumir muita água ao longo do dia. Se você tem dificuldades de adquirir este hábito, deve ter sua garrafinha sempre por perto.

Faça várias refeições por dia. Além das refeições principais (café da manhã, almoço e jantar), faça lanches intermediários (lanche da manhã e da tarde) e uma pequena ceia antes de dormir. O corpo necessita de energia o dia todo e por isso devemos fornecê-la pelo mesmo período, em pequenas quantidades, para garantir seu bom funcionamento e para manter o metabolismo sempre ativo. Se não oferecemos para nosso corpo a energia que ele precisa, ele vai economizar o que tem e vai passar a funcionar no modo de economia, guardando a energia ao invés de gastá-la. Precisamos manter o metabolismo ativo!

Corpo nutrido não sente fome e está pronto para gastar energia o tempo todo!

Vamos praticar? Providencie sua lancheira e sua garrafa d’água hoje mesmo.

Um abraço pra vocês!

foto Camila Prada

Camila Prada
Especialista em Nutrição Clínica – São Camilo
Mestre em Ciências – FCM Unicamp
www.camilaprada.com.br