post-bom-dia-1

Gentileza? Existem mil posts sobre isso, basta dar uma busca na net e logo em seguida aparece uma lista gigante.
Mas e para você que esta lendo…eu nem o conheço, não tenho intimidade.
Será que o que eu disser, vai mesmo ter sentido pra você?

Depois de 45 anos crescendo em um lar muito gentil, depois de formar minha própria família e de trabalhar diariamente com este assunto nos últimos 4 anos…

Só sei dizer: SE QUER MUDAR ALGUMA COISA, COMEÇE NA SUA FAMÍLIA.
Foi assim que me aquietei, desisti de ficar convencendo as pessoas o tempo todo. Quem disse isso? Santa Madre Teresa de Calcutá.

Meus problemas diários? São vários e ainda bem que os tenho, assim aprendo a resolvê-los e aprendo com eles.

Sinceramente esta muito difícil hoje ensinar a gentileza “falando” com adolescentes. Acho que o melhor mesmo é nosso exemplo. Tenho certeza que ele sim, ele vale mais que mil palavras.

A gentileza muda de jeito, cor e sabor em cada fase da vida da gente.
Hoje, a minha como pessoa continua brilhando, mas em alguns momentos do dia a dia, nas ruas, na escola, no trabalho e até em casa, a cor enfraquece um pouco…mas eu nunca desisto!
Faço minha parte!

Aliás, foi um prazer escrever pra você! Que tenha um ótimo 13 de novembro, dia internacional da gentileza …cheinho de gentileza!

foto roberta 2014

Roberta Corsi –  Bela Urbana, coordenadora do Movimento Gentileza Sim que tem como objetivo “unir pessoas que acreditam na gentileza” e incansavelmente positiva. Para conhecer o movimento acesse https://www.facebook.com/movimentogentilezasim 

pai Roberta

Falar de homem? Existem tantos? Homens maridos, homens filhos, homens vizinhos, homens chefes, homens padres, homens “consertadores” de fogão, homens professores…

Estes são os homens que me cercaram nesta semana, mas um, eu deixei para comentar separadamente. O Homem PAI, meu pai!

Ele é doce, meigo, forte, trabalhador, divertido, animado, ético simples…nesta semana faz 50 anos que se casou com minha mãe. Imaginem o que ele já passou? Como ele já deve entender de mulheres, principalmente da minha mãe? Imagina como é a vida deles hoje?

Com vários “arranca-rabos” o tempo todo….afinal, entender as mulheres, nem que seja uma…deve levar mais de 100 anos!

Obs: a foto acima é dele quando conheceu minha mãe….a de hoje? Fica na sua imaginação…

foto roberta 2014

Roberta Corsi –  Bela Urbana, coordenadora do Movimento Gentileza Sim que tem como objetivo “unir pessoas que acreditam na gentileza” e incansavelmente positiva. Para conhecer o movimento acesse https://www.facebook.com/movimentogentilezasim 

 

chinelos shutterstock_277455644

No final de semana antes do carnaval, resolvi ir à praia com a família.

Desta vez, nada de hotel pé na areia, piscina, sorvete à toda hora e nem a cadeirinha com guarda sol montada, já me esperando no lugar de sempre.

Desta vez uma casa com antigos amigos.

Uma casa onde fazíamos de tudo; limpávamos, cozinhávamos, cuidávamos dos filhos, jogávamos buraco e até um antigo jogo da minha infância… stop (se bem que os carros que eu falava, ninguém mais conhecia). As crianças pulavam nos colchões espalhados pela sala, davam travesseiradas uns nos outros, comiam quando queria e misturavam brigadeiro com churrasco, brigadeiro de novo e os pais? Nem ligavam. Liberdade total!

Logo cedinho acordávamos e íamos a pé (cinco quadras) para a praia carregando algumas coisas (muitas coisas) até nos instalarmos de frente “daquele marzão de Deus” como dizia meu pai.

Já sentada na cadeira, olho para o lado e vejo uma senhora tirando a saída de praia e achei que era a coordenadora de matemática da escola dos meus filhos. Uma senhora elegante, sempre bem vestida, muito inteligente que dá ate gosto de ver. Ela não para nunca, fez mestrado, Doc, pós Doc…mas naquele momento era uma pessoa comum, com corpo comum, de biquíni curtindo a família…bom, olhei direito e não era ela…ufa! Que bom, senão ela iria me ver com a mesa cheia de salgadinhos e cervejas já trazidos de casa, porção de salaminho….uma verdadeira farofa!

Foi aí que olhando várias pessoas ao meu redor, percebi que ali na praia, todos eram seres humanos normais, todos com os pés sujos de areia, passando protetor solar, rindo e curtindo tudo o que recebemos de graça…sol, mar e natureza. Relaxei.

E o Cortella? Bom, fiquei olhando todos os barbudos da praia, vai que de repente o Cortella esteja lá, bem à vontade  bebendo uma caipirinha e de sunga? Ah…mas ele estaria com uma sunga todinha salpicadas de letrinhas do alfabeto na cor cinza, descalço, com chapeuzinho, aquele bege meio clássico e lendo um livro, claro!

Enfim, descobri que na praia, não importam os títulos das pessoas, somos todos iguais. As mulheres de biquíni se achando fora de forma e os homens fazendo de tudo para disfarçar enquanto passa uma gostosona caminhando pela praia.

E o David Luiz? Ah, este eu coloquei no título só para chamar a atenção dos homens para o texto.

E você, quem gostaria de encontrar na praia? Como ele estaria vestido?

foto roberta 2014

Roberta Corsi – Bela Urbana, coordenadora do Movimento Gentileza Sim que tem como objetivo “unir pessoas que acreditam na gentileza” e incansavelmente positiva, para conhecer o movimento acesse https://www.facebook.com/movimentogentilezasim 

 

Batom vermelho shutterstock_110864450

Todos os dias acordo com um beijinho do meu marido, levanto, faço café, o lanche das crianças e depois que eles se vão…começa o MEU dia!

Tem dias que não dá tempo pra passar batom, tem dia que passo batom cor de boca, mas tem dia que passo batom vermelho!

E ai? O que tem demais nisso?

Hoje percebi que tem muuuuuita coisa. Passar batom vermelho pra mim, significa que estou animada naquele dia, que meu espírito quer liberdade, quer estou mês sentindo poderosa, que minha auto-estima esta “bombando”!

Hoje acordei assim, entrei no carro para fazer minhas coisas e fui pegar o batom vermelho quando….

Olhei pra mim e estava de bermuda, camiseta (não muito moderna) e de alpargatas…desisti!

Foi ai que percebi que o batom vermelho é mais que um simples batom.

Ele é uma declaração do seu estado de espírito, mas um espírito que esteja em um corpo coberto por uma roupa bem transada, de um sapato de salto, um colar curto e um cabelo desfiado.

Snif…estou sem batom vermelho agora, mas me aguardem…assim que voltar do mecânico e chegar em casa…serei outra mulher!

foto roberta 2014

Roberta Corsi – Coordenadora do Movimento Gentileza Sim que tem como objetivo “unir pessoas que acreditam na gentileza” e incansavelmente positiva, para conhecer o movimento acesse https://www.facebook.com/movimentogentilezasim 

shutterstock_130498385 (1) cinema

Dia 12 esta chegando e eu até me esqueci de comprar os presentes dos meus filhos? Correria? Não…é um aperto no coração mesmo, afinal vão fazer 12 anos daqui a alguns dias e de acordo com as leis do nosso país, não serão mais criança.

Escrever sobre isto é descobrir de onde vem esta “dorzinha” na barriga, na boca do estômago. É pensar que me sobra pouco tempo pra rolar na cama, subir em árvores, jogar bola e comer pipoca a qualquer hora. Daqui a pouco, vão preferir os amigos (como na minha idade….kkk).

Bom, este assunto está muito triste e minha dor esta aumentando pra caramba…

Mas esta dor, com certeza não vai passar e sabe por quê?

Estes dias, um dos meus filhos foi convidado para ir ao cinema. Achei a ideia legal e depois de bisbilhotar quem ia, onde era, quem iria levar, a que horas iria terminar etc, me dei por satisfeita avisei minha filha que estava tudo certinho e combinado.

Depois de minha filha me lembrar umas 5 vezes por dia a semana toda, o sábado chegou. Claro, entrei no carro e estava animada pra assistir o filme.

Comprei o ingresso dela, o meu e foi ai que tudo começou.

Junto com a gente estavam mais 4 mães que compraram as entradas dos filhos, pipocas e refrigerantes….mais nada!

Fiquei paralisada, atônita e sem palavras. Todo mundo percebeu meu olhar de surpresa por perceber que era a única mãe que iria assistir ao filme. O silêncio tomou conta da nossa rodinha de mães até que fui logo dizendo pra minha filha que ficaria na ultima fileira e que ela poderia ficar à vontade com sua turma nas fileiras da frente.

Entramos no cinema, o filme começou e eu não parava de pensar…

Porque as mães não vieram? Será que estou fora de moda? Será que minha filha esta “passando mico”, será que ela paquera algum dos meninos? Será que as outras mães estão certas?

Estava totalmente perdida e inquieta. Comi o meu lanche do Mc Donald’s e o da minha filha bem no escurinho sem nem perceber. (Porque do lanche? Chegamos cedo pra comer, mas acabei guardando porque todos os amigos chegaram de repente na bilheteria e foi aquela bagunça.)

Comi. Comi sem perceber tamanha era minha ansiedade. O filme acabou na saída fingi que nem conhecia as crianças. Esperei lá fora, nos despedimos, coloquei meu braço no ombro da minha filha e dei um abraço meio disfarçado.

Pra minha surpresa, sem eu perguntar nada, ela olhou pra mim e disse:

– Mãe, não se preocupe, não acho ruim de você ir ao cinema comigo. Me sinto até mais segura!

Deu aquele sorriso que eu amo de paixão e ficamos o caminho todo de volta comentando sobre como o filme foi divertido. Demos boas risadas e até imitávamos alguns personagens.

Bom, se ela é criança ou se ela é pré adolescente eu não sei, mas eu, com 44 anos, me tornei criança vendo aquele filme, conversando com minha filha no carro e o que importa mesmo é que temos uma a outra…pra sempre!

foto roberta 2014

Roberta Corsi – Coordenadora do Movimento Gentileza Sim que tem como objetivo “unir pessoas que acreditam na gentileza” e incansavelmente positiva. Acesse  https://www.facebook.com/movimentogentilezasim esse texto foi originalmente publicado no blog Ordens e Desordens no casamento http://www.ordensedesordens.com

 

foto escova de dente

Antes de falar da gentileza no casamento, deixo bem claro que sou “das antigas”.  O que é isto? Significa que acredito na instituição do casamento como um aprendizado, onde devemos ficar juntos até que a morte nos separe…

Apesar de fazer em novembro 20 anos de casada, minha vida matrimonial tem…sonhos, diálogo, afeto, religião, companheirismo, paixão, amor, sexo (hummmmm, mas ultimamente quando as crianças estão dormindo apenas…), diferenças, brigas,  discussão…sim, elas também fazem parte.

Tudo que disse é dentro do respeito, mas quando penso: “esta vez foi a pior discussão”…em seguida vem meu segredinho de gentileza!

Todos os dias à noite e de manhã quem for escovar os dentes primeiro, coloca pasta pro outro…

Aparentemente parece uma coisa simples, mas não é. Isto simboliza pra mim carinho, parceria e principalmente “te amo, apesar de estar bravo com você”!

Nestes 20 anos nunca deixei de praticar esta gentileza e meu marido também não (apesar de algumas vezes ter ficado tentada…). às vezes vou dormir até mais tarde para ver se ele coloca a pasta antes de ir dormir….e para minha agradável surpresa….nunca falhamos.No fim das contas é um jeito diferente e mais fácil de pedir DESCULPAS do que olhar nos olhos dele!

Que tal você tentar?

O que? Você notou aquele elastiquinho na minha escova? É pra lembrar meu filho pra colocar o elástico no aparelho todas as noites…kkkk. Mãe inventa cada uma!

foto roberta 2014

Roberta Corsi é coordenadora do Movimento Gentileza Sim que tem como objetivo “unir pessoas que acreditam na gentileza” e incansavelmente positiva. Acesse  https://www.facebook.com/movimentogentilezasim esse texto foi originalmente publicado no blog Ordens e Desordens no casamento http://www.ordensedesordens.com

 

shutterstock_145758695 (1) varias belas

6h– me sentindo mulher (namoro com marido)

7h– me sentindo mãe (arrumando lanche das crianças)

8h- me sentindo executiva (visitando cliente toda “chiquetosa” e resolvendo campanha)

9h- me sentindo Creusa (em casa, de chinelo, limpando e fazendo almoço porque faxineira não veio!)

Que o restante do dia me aguarde!!!!!

foto roberta 2014

Roberta Corsi – publicitária, mãe, criadora do Movimento Gentileza Sim, otimista por natureza!! 🙂

 

BAIXA_shutterstock_114111634

O Movimento surgiu da minha necessidade de unir pessoas que acreditavam na gentileza como eu. Sou muito otimista e ficava muito brava quando ouvia as pessoas dizerem que este mundo não tem jeito, que só existem pessoas ruins e que ninguém pensa em ninguém.

Como isso era possível se existia eu e muitas outras pessoas que eu conhecia? Tudo bem, não eram todas, mas existia e isto já me animava!

Quando a gente chega aos 40 anos logo pensa: como posso contribuir para um mundo melhor? Claro, antes do Movimento pensei em milhões de coisas que me deixavam com dor de cabeça algumas vezes…mas um dia me perguntei: o que te incomoda Roberta? Afinal, era assim que eu tinha aprendido nos cursos de Terceiro Setor, palestras e especialização….faça a pergunta e vai encontrar a resposta.

Claro, não foi tão simples, pois havia muitas coisas que me incomodam, mas como sempre sou positiva e resolvi fazer o inverso e me perguntei: o que te deixa mais feliz? Em seguida alguém por perto me interrompeu e precisou de uma gentileza e eu fiz (não me lembro). Depois meu marido me disse: você tem mania de fazer as coisas para os outros (na verdade, elas é quem aparecem…kkk) e no mesmo dia recebi um vídeo pela internet onde as pessoas faziam gentilezas aos outros e BUMMMMM!

É isso que eu quero fazer. Ajudar as pessoas! Como? Mostrando que existem outras pessoas que já são gentis. Mostrando o quanto isto faz bem a elas e aos outros e como vale a pena! Assim mais pessoas serão gentis e o mundo será melhor.

Como sou da área de comunicação e não tinha muito dinheiro, resolvi montar um site e uma página no facebook.

Hoje somos 2500 pessoas unidas que acreditam na gentileza!

Você acredita? Acesse: facebook.com/movimentogentilezasim ou www.movimentogentilezasim.com.br

Depois que curtir nossa página e começar a ver nossas publicações, tenho certeza que vai ser mordida pelo bichinho da gentileza….

Link vídeo que recebi e me inspirou: https://www.youtube.com/watch?v=d_8hR7fo53o

foto roberta 2014

Roberta Corsi – publicitária, mãe, criadora do Movimento Gentileza Sim, otimista por natureza!! 🙂

Hoje em especial quero compartilhar um texto que escrevi há quase 01 ano para o site do “Movimento Gentileza Sim” fundado pela minha grande amiga Roberta Corsi. O convite e a reflexão que fiz naquele momento permanecem e por isso compartilho o mesmo na íntegra com vocês, segue:

“Gentileza gera gentileza” já dizia o poeta Gentileza. É isso mesmo, não tem segredo, o segredo é colocar isso em prática em situações adversas. Gentileza é sinônimo de delicadeza, amabilidade, educação. Quando recebi o convite para ser a primeira a escrever para esse blog, fui pega de surpresa em uma manhã no meu trabalho. O convite veio acompanhado por um delicioso bolo e um lindo cartão, que realmente me emocionou e trouxe um sabor especial aquele dia. Ah Roberta, (fundadora desse movimento), se o mundo tivesse mais Robertas, com certeza as pessoas nesse mundo seriam mais felizes, porque foi exatamente feliz e honrada que me senti naquele momento e também responsável com o que trazer de relevante sobre esse assunto para o blog.

Busquei no dicionário, li alguns artigos, observei as pessoas ao meu redor, fisicamente e virtualmente, mas acima de tudo observei a mim mesma, confesso que essa tarefa não foi tão fácil. Conclui algumas coisas, entre elas, que é fácil ser gentil em situações cotidianas de nossa vida, um “bom dia”, “obrigada”, “por favor”, são palavras fáceis de falar, basta antes de mais nada a tal da boa educação. Como é ruim encontrar logo pela manhã um mal educado que chega sem dar um “bom dia”, que nos encontra no elevador com cara fechada,  e como é agradável encontrar alguém que além de dar o “bom dia” nos recebe também com um sorriso aberto e verdadeiro. Atitudes simples assim fazem diferença, é mais do que educação, é beleza de alma, alegria e contagia de forma positiva quem está em volta.

Precisamos estar sempre bem para agirmos assim? Essa é uma ótima pergunta que também me fiz durante esses dias. Estar bem ajuda muito. Pessoas amargas  não conseguem compartilhar sorrisos, podem até ser educadas, mas não docemente gentis, ou seja, é necessário resolver as amarguras da alma. Com algumas pessoas somos facilmente gentis, gratas e amáveis, por exemplo: com o médico dos meus filhos que me acode incansavelmente em momentos de medo e dor, tenho consciência que ajo dessa forma, afinal ele que sempre me ajuda. Nessas últimas semanas lá estava eu novamente contando com a ajuda do “Salve Jorge” como espontaneamente meu filho Pedro apelidou-o o Dr. Jorge, quando novamente contamos com ele nessas últimas semanas. A grande questão é como ser gentil com pessoas que nos tratam mal, nos desagradam e agridem? Encontramos essas pessoas em vários lugares, nos simples acasos do trânsito, no convívio pessoal e profissional. Nesses casos o que fazer? Seria lindo ser gentil, conseguir superar a raiva da buzina insistente no trânsito sem  motivo; o chato familiar que insiste em fazer comentários deselegantes; o profissional sem ética que faz de tudo para se dar bem. Socorro! O que fazer nesses casos? Como ser gentil nesses momentos e com essas pessoas? Confesso que não encontrei a resposta, e que ainda não encontrei esse desprendimento de ser tão tranquila com essas situações e pessoas, então, enquanto não tenho a melhor ação para essa questão, faço um exercício, respiro fundo e tento o mais rápido possível me afastar, para não agredir também.

Agora tem ainda um terceiro momento que às vezes esqueço-me de ser gentil, não pela falta de amor com os que estão ao meu redor, mas a paciência some e a pressa maluca vem à tona, a culpa pode ser da correria do dia a dia,  essa urgência que temos para dar conta de tudo. Percebi que faço o urgente e não o importante, que deixo de lado as pequenas gentilezas com as pessoas que mais amo sem perceber. É tanta pressa que falta tempo para ser gentil? Essa é a questão? Não, isso não existe, ser gentil não toma tempo. Ser gentil é ser educado. Ser gentil é estar com o coração desarmado. Não basta ser gentil com só o “bom dia”, “obrigado” e “por favor”. É hora de ser gentil primeiramente com quem está próximo, o excesso de proximidade no cotidiano e urgência do dia a dia, nos faz muitas vezes esquecer das nobres regras de educação com essas pessoas. Proximidade não pode jamais ser sinônimo de descaso. Quer um mundo melhor? Quer esbarrar em pessoas mais gentis? Que tal começar dentro de casa? Exemplo começa em casa, no nosso núcleo familiar e faz a diferença em escala na sociedade.

Agradeço imensamente esse convite pois somente por isso, fiquei atenta a mim mesma e a minha volta de um modo que nunca antes tinha me atentado. Refleti muito e a grande conclusão é que tudo é muito simples, ou seja, ação e reação, boas ações geram boas reações, alegria contagia. Podemos compartilhar de forma generosa tantas coisas como boas atitudes, conhecimento e  carinho, tornando o nosso dia a dia mais leve e alegre e de alguma forma contribuindo para um bem estar coletivo do qual fazemos parte. Eu acredito que cada um é um pequeno pedaço que faz diferença nesse grande círculo que é a vida. Parece óbvio e simples demais, e quer saber um segredo? É mesmo. Vamos juntos? Vale muito a pena, gentileza SIM.

Finalizo com uma frase de Cora Coralina que diz “Não sei se a vida é curta ou longa para nós, mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas”.

Adriana Chebabi

Adriana Chebabi – Bela Urbana, idealizadora do blog Belas Urbanas onde é a responsável pela autoria de todas as histórias do projeto. Publicitária, empresária, poeta e contadora de histórias. Divide seu tempo entre sua agência Modo Comunicação e Marketing www.modo.com.br, suas poesias, histórias e as diversas funções que toda mãe tem com seus filhos e apoiadora desde o início do Movimento Gentileza Sim www.movimentogentilezasim.com.br