Confesso, sem problemas. Assisto sim ao Big Brother 21.

Melhor assistir ao BBB do que os noticiários que mostram cenas dantescas de mortes e números alarmantes da Pandemia.

Estamos exaustos.

Não sou NEGACIONISTA, muito pelo contrário, sigo à risca todas as orientações e protocolos de prevenção da Covid.

Mas, assistido ao programa, percebo que nós também estamos vivendo em um “Big Brother”. Vejamos:

  • Há um confinamento mundial, físico e emocional;
  • Uma grande parte vive na “xepa”, ou seja, não consegue colocar comida na mesa por causa da crise econômica;
  • Há brigas e mais brigas entre os governantes, farpas para todos os lados;
  • Muita gente dançando em baladas, mesmo que clandestinas;
  • Muitos saindo do jogo. Mas no caso do Big Brother daqui de fora, são pessoas saindo involuntariamente do jogo da VIDA;
  • Alguns parecem que jogam mais, outros menos. No BBB aqui de fora, uns assumem suas responsabilidades individuais no combate ao vírus, já outros parecem levar a vida normalmente.

Mas a GRANDE DIFERENÇA do Big Brother da TV com o Big Brother que está rolando aqui fora é que…

…o da TV tem dia e horário para acabar.

Angela Carolina Pace – Bela Urbana, publicitária, mãe, apaixonada por Direito. Tem como hobby e necessidade estudar as Leis. Sonha que um dia as Leis realmente sejam iguais para todos.

Comentários

comments