Analogia demarca a etiqueta de qualquer produto na gaiola… na cesta… no cabide… na mureta!

Este grafitar “Somos mulheres e não mercadorias” exposto neste muro é dolorido demais… Este grafite incomoda e faz com que nós Mulheres façamos mais pelos bloqueios advindos de nossa santa e apregoada Paz!

O mercado fecha para balanço…

As estantes serão consumidas pelos manifestos gritantes…

Os caixas já se perderam nas contas intrigantes…

As sacolas não mais serão permitidas…

E o troco? Não o queremos mais!

… E também não queremos Paz, as mercadorias necessitam de consumo qualificados e não quantificado como estão ainda feitos.

Percebem?

Este grafite é a pura realidade e não há tempo para continuarmos vendidas em muitos destes supermercados…

Alguns hipermercados… outros mercadinhos… e outras grandes lojas de departamentos… Além das bancas nas calçadas…

Não queremos Paz…  pois nós precisamos é de tranquilidade para que este manifesto não segregue muito mais do que o necessário!

Os vendedores destes mercados precisam ser sabotados!

Pois este grafite neste muro não chega a ser um pecado… porém se faz morte com efeito dominó e é só lermos as páginas das ofertas das mercadorias!

Que tal boicotar aquele que se gaba em ser dono muitas vezes por usucapião?

Que tal fazer um empoderamento sem tanta agressividade já que estamos nos reciclando como novo produto na cidade… do estado… do mundo?

Joana D’arc de Paula – Bela Urbana, educadora infantil aposentada depois de 42 anos seguidos em uma mesma escola, não consegue aposenta-se da do calor e a da textura do observar a natureza arredor. Neste vai e vem de melodias entre pautas e simetrias, seu único interesse é tocar com seus toques grafitados pela emoção.

Related posts:

Comentários

comments